<$BlogRSDUrl$>

quinta-feira, abril 28, 2005


2º Encontro Nacional de Weblogs
Na Universidade da Beira Interior
em 14 e 15 de Outubro
2encblog

Mais informações: AQUI.

segunda-feira, outubro 06, 2003


Para explorar

Canal: Blogosfera Portugal en el Internet Topic Exchange

Cursos Online: MIT OpenCourseWare en Portugués

Grande abraço!
José Luis Orihuela

sexta-feira, setembro 26, 2003


No mail do blog recebemos também esta mensagem:

Caros colegas que escrevem em páginas na internet,

Vejo com uma certa preocupação alguns dos textos que andam a circular na comunidade dos weblogs/blogoesfera que sugerem que estarei, dada a natureza de alguns dos meus escritos na fanzine Cafeína (www.cafeina.org) e no meu weblog (www.asseptic.org/blog/), a defender uma espécie de 'apartheid' entre os 'blogs' pré-Abrupto e os 'blogues' pós-Abrupto. Não compreendo. Tal noção
é ridícula. Onde colocar a linha? No aparecimento do Abrupto, ou no aparecimento d'A Coluna Infame? Deverá existir uma 'terceira geração' pós-Mentiroso? Ou terá tudo começado a correr mal muito antes, quando o Miguel Esteves Cardoso começou a escrever as suas Pastilhas e a participar activamente no Metafilter? Tais interpretações são absurdas. Quem ler com mais atenção os meus artigos irá reparar que são críticas - sim, duras e cínicas críticas - ao mediatismo e à óbvia (e sempre inevitável) deficiência
do tratamento mediático do fenómeno dos weblogs, e ao modo como uns fazem questão de tirar partido do mediatismo. Mas entendam-me! Não existe qualquer
diferença entre isto e aquilo que acontece por exemplo no cinema ou na música. Todos conhecemos bandas mediáticas que achamos uma porcaria, todos conhecemos o mau 'blockbuster', todos conhecemos uma cantora ou um
realizador pouco conhecido que achamos que deviam estar na MTV ou no multiplex da zona, em vez dos (por exemplo) Limp Bizkit ou de mais um filme produzido pelo Jerry Bruckheimer.

E precisamente para não ferir susceptibilidades, pensei que seria melhor focar a minha crítica de weblogs sobre comportamentos e tendências, em vez de escolher um weblog para criticar, dar uma nota de um a cinco, e
eventualmente fazer um painel de weblogs com outros críticos, estilo os painéis de cinema dos jornais. Infelizmente parece que ainda feri mais susceptibilidades assim, e a 'guerra' foi inevitável. Durante o passado
fim-de-semana, um artigo colocado no Cafeína categorizado no tópico 'Weblogs' (que ao contrário do que muitos deram a entender conta apenas com 1 em cada 60 artigos) conseguiu um número recorde de comentários, muitos
negativos, e infelizmente poucos construtivos. Alguns dos comentadores desceram ao mais baixo nível do insulto e do cinismo deselegante, e o meu weblog também recebeu alguns comentários deste género. Cometi então um erro
infeliz, fruto do anonimato, de insultos esporádicos já recebidos anteriormente, e do meu desconhecimento da política de um determinado ISP, do qual pedi desculpa publicamente, só para continuar a ser 'massacrado' por
gente que revelou interpretações deficientes do que eu disse - para não dizer falta de vontade em interpretar correctamente. E como acredito que por vezes haja quem goste de projectar as suas debilidades nos outros, aí
estavam as acusações de 'inveja' e de 'falta de talento', perpretadas por indivíduos que por qualquer razão que me escapa continuam a visitar os meus sites. Mas como diz uma pessoa muito sábia: "quem se quer meter contigo nem
calçares uma peúga do avesso te perdoa".

O facto é que cheguei à página do Encontro de Weblogs porque alguém colocou um comentário no meu weblog utilizando o termo "toma!". Mas não vejo nesta página nenhum texto com que discorde absolutamente, nem nenhum texto que seja uma grande derrota pessoal. É a minha opinião que são estes os comportamentos (dos comentadores) que efectivamente estão a 'balcanizar' a
'blogoesfera' (assumo que nunca gostei desta palavra). São as interpretações apressadas e alguns ódios incompreensíveis (eu não odeio ninguém) que
efectivamente nos tentam dividir! É verdade (e assumo-o) que não vejo grande propósito nestes Encontros de Weblogs porque sempre olhei para os weblogs como um meio informal (quantas vezes não usei a expressão 'hobby
irrelevante'?), portanto, para quê formalizar? Mas por outro lado, sou adepto da pesquisa científica sobre este meio, e tive todo o gosto em colaborar com o inquérito que a organização do Encontro efectuou há algumas semanas. E é ainda a minha opinião que os weblogs deveriam ser uma espécie de 'zona franca' da liberdade de expressão, em que coisas como os direitos de autor deveriam fazer parte de uma ética e não de uma lei, e em que o público deveria ser educado para as ressalvas a ter neste meio. Assusta-me portanto, a palavra 'regulamentação', lida nalguma comunicação social referido-se à agenda do encontro, e o uso anexo de palavras como 'unanimidade'. Porque os weblogs são diversos, e esta diversidade deve ser
preservada sem que uns se tornem inimigos dos outros. Estou convencido que o factor 'moda' irá acabar com muitos weblogs, mas no entanto outros surgirão.
Muitos partirão do Blogspot rumo a um maior controlo e personalização, outros publicarão livros, outros transformarão os seus weblogs em sites de
outra natureza. Espero pela evolução, e que uma regulamentação nunca venha asfixiar o fenómeno. Diria isto o defensor de um 'apartheid'?

Os meus cumprimentos,

Eduardo J M de Sousa

quarta-feira, setembro 24, 2003


Caro Manuel Pinto e Caro Frederico Ferreira,

Esta matéria (a da separação e rancor de uma comunidade por outra) já tinha sido discutida no encontro mas acredite que não acreditava muito no que nos tinham contado. Chegado a casa, pesquisei pela Internet e descobri um texto, no mínimo ridiculo, por parte de Eduardo Sousa, do Cafeina. Na altura, apeteceu-me escrever este texto mas achei que era uma pequena voz e que não me devia "ralar". Dado que Frederico Ferreira insiste no tema, que me tem aborrecido há vários anos, passo a deixar a minha opinião muito crítica. E caso queiram continuar a discussão, irei replicar este texto no meu blog...

Desde 1995 que estou ligado de alguma forma ao jornalismo e às novas tecnologias. Acreditam que o tipo de falso elitismo (o verdadeiro não é assim...) destes senhores já vem dessa altura? Quando a saudosa cyber.net surgiu, e da qual me orgulho de ter pertencido desde o 10º número, já os Velhos do Restelo achavam que o excessivo "hype" iria estragar o seu cantinho escuro onde viviam. Quando surgiram tecnologias que permitiam a criação de páginas Web de forma automática, mais uma vez este tipo de mentalidades tacanhas apareceu. Quando o IRC nacional (de cuja rede tenho o orgulho de a ter conhecido apenas com os testers de cada uma das universidades e providers nacionais) explodiu em numero de utilizadores, o mesmo se passou e assim sucessivamente, de cada vez que aparecia algo que proporcionava a mais utilizadores aquilo que era o "hype" e do qual este tipo de senhores tinha a chave sagrada.

Não entendem que o mediatismo é passageira. Para eles, a criação do Blogger e do Blogspot tem o mesmo dom de sacrilégio que os amigos betinhos descobrirem aquela tasca com bifes maravilhosos que eles sabiam e perante a qual guardavam segredo. Ou da praia especialmente bonita que tem como utilizador habitual o Marcelo ou o Marques Mendes. Esquecem-se que o mediatismo apenas serve para dar a conhecer. Tornar algo de bom num espaço conhecido por uma maioria. Que essa maioria tem o direito de existir, meus caros, e de conhecer determinadas técnicas e conhecimentos.

Esquecem-se que sem um conhecimento inicial, não se separa os utilizadores interessantes daqueles que apenas acham que é uma moda e que mais cedo ou mais tarde irão sair do meio. Têm uma visão totalitária, de um elitismo falso. Destilam ódio e para terem razão deturpam TUDO.
Basta lembrar que Frederico nos remete para o gueto "blogspot"... Ai, ai... parece a conversa dos Microsoft-haters... Basta lembrar que Pedro Fonseca escreve sobre o fenómeno, na "A Capital" e no "Público-Computadores" há mais do que um ano e meio. Que, caso não saibam, o António Granado não tem "blogspot" no nome. Alguém discute a qualidade do 35mm? Ou da qualidade de um Socioblogue?

A falta de conhecimento histórico do fenómeno Internet (julgam-se os "senhores" quando deviam ter respeito por aqueles que mandaram emails em VAC e conheceram o Netscape 1.0... que curiosamente são mais humildes que eles) e de um sentido de respeito pela democracia é impressionante.

Por mim, sempre estive do lado da ÚNICA comunidade de bloggers... Porque quem entende que existem duas ou mesmo mais, são as pessoas que começam a matar essa mesma comunidade.

Cumprimentos
João "Notas entre Aveiro e Lisboa" Oliveira


No mail do blog veio desaguar esta leitura da blogosfera, feita por alguém que gostaria de ter estado em Braga, mas que, por motivos profissionais e pessoais, não pôde:

"Ao contrario do que se quer fazer crer desde o aparecimento nos media do
abrupto, a blogosfera nacional existe ha varios anos, sendo que para mim, um
blog, é mais do que um texto, chega mesmo a ser uma concepção artistica, e
uma apresentação grafica através do webdesign. Um "blogspot user" limita-se
a utilizar meia duzia de ferramentas que lhe são postas à disposição para
"postar" os seus textos, um blogger faz mais do que isso, além do texto que
elabora, trabalha também a parte gráfica e a relação entre a mesma e o
texto... de forma a que o site seja mais do que um texto... o site é aquilo
que ele deseja que ele seja.. é a sua expressividade criativa ao máximo...

Entristece-me quando se fala de Blogs portugueses não ser referido um unico
com mais de um ano, não ser referido um unico em que o seu writer também
escreve o codigo por trás da página, faz-me lembrar um texto do Dr Bakali
que referia a diferença entre um site na internet e um ficheiro .txt (desde
a forma como é concebido até às caracteristicas graficas possiveis)

Numa versão optimista espero que a suposta comunidade blogger nacional
acorde para o facto de existirem muitos bloggers que já cá andavam antes do
blogspot e antes da comunicação social (com a qual devo dizer me sinto
tremendamente envergonhado, pela cobertura defeituosa que fazem sobre o
assunto), e que fazem pela comunidade bastante mais do que aqueles que
encaram isto como uma moda... e que se consigam consiliar as duas
comunidades bloggers em portugal... a dos "blogspot users" com a outra que
já existia e comunica entre si ha alguns anos...

Desde o abrupto quantos blogs apareceram? e antes? e que conteudos efectivos
contêm cada um deles? porque a comunidade não se deve preocupar com numeros
mas também com a qualidade desses mesmos numeros.. e com a continuidade de
existencia desses numeros..

Numa versão pessimista espero que a moda passe depressa e que todagente se
esqueça do que é um blog, para que se possa voltar a existir sossegado.

Preocupadamente
Frederico Wiborg Ferreira"


O autor do weblog [SUBSTRATO] gostava de receber informações sobre o encontro de Braga. onde posso obtê-las?
Obrigado.


terça-feira, setembro 23, 2003


Caros colegas bloggers

Antes de outro assunto, gostava de deixar o meu agradecimento ao Manuel Pinto e a todos os que tornaram possível o encontro nacional de weblogs.
Mais do que o pretenso provincianismo de quem não vai e critica, é importante que os que se interessam por este fenómeno se reunam, de preferência à volta de uma cervejinha e levantem questões (não é, Pedro Fonseca?).

Gostei muito de estar em Braga e de conhecer as caras por detrás de vários blogs. A isso farei referencia. no meu blog onde estará, daqui a duas horas, a minha impressão pessoal da reunião e o tão esperado link para as fotografias que tirei durante o evento.

Um abraço/beijinhos
João "Notas entre Aveiro e Lisboa" Oliveira



Como prometido, o texto da minha comunicação sobre blogues e jornalismo está disponível "online" aqui.
No ContraFactos & Argumentos fiz ontem um apanhado de alguns textos.
Confirmo, como outros já o fizeram, que foram dois dias de interessante conversa e debate sobre assuntos que podem e devem ser debatidos em público.
Pedro Fonseca


Coloquei alguns "posts" sobre o Encontro no Conversas de Café. Aproveito para referir que considero que estes dois dias na Universidade do Minho foram uma óptima oportunidade de debate. Apesar da fraca adesão dos bloggers nacionais, foi um espaço de debate muito interessante.

Inês Amaral


Artigos no Público, Suplemento de Computadores

"Escrever Sim, Discutir Não"
http://jornal.publico.pt/2003/09/22/Computadores/TI02.html

"Ferramenta de Aproximação no Ensino"

http://jornal.publico.pt/2003/09/22/Computadores/TI02CX01.html


"Blogues para a Cidadania"

http://jornal.publico.pt/2003/09/22/Computadores/TI02CX02.html






Um texto sobre o Encontro, também no Correspondente.net
"I Encontro Bloguista"
http://www.correspondente.net/story/2003/9/22/95431/9950



segunda-feira, setembro 22, 2003


"Se Google não sabe que tu existes, então não existes"

"Nunca tivemos de ler tanto para escrever tão pouco!"


São duas frases de José Luis Orihuela no I Encontro Nacional de Weblogs e que marcam, sem dúvida, a primeira reunião dos bloggers nacionais.
Retive também a futurologia feita por António Granado, particularmente quando se referiu à utilização de weblogs no ensino:
- espaço de discussão;
- diário de turma;
- trabalhos a fazer ou não;
- jornais escolares a funcionarem em plataformas idênticas aos weblogs;
- auxílio aos pais;
- etc.
Apesar da imensidão que foi a sua intervenção, revi-me nalgumas das conclusões apresentadas por João L. Nogueira - aquela questão das ansiedades deixou-me a reflectir.
Tive pena de não poder comparecer ao Beers & Blogs mas a rádio, sempre a rádio, "tramou-me".
A minha intervenção está disponível no weblog que representei (o Gente Jovem) mas também no "Silhuetas". Se alguém pretender algum esclarecimento adicional, apenas necessita contactar-me.

Luís Sousa
GenteJovem
Intervenções Sonoras
Silhuetas

PS - em Março espero desvirtualizar mais bloggers!


domingo, setembro 21, 2003


Gostei de ter participado no encontro. O José Luis e o Manuel Pinto convenceram-me definitivamente do potencial da ferramenta para uso educativo e as restantes discussões ajudaram-me a abandonar a minha - confesso - quase total ignorância sobre o tema.
Gostei, sobretudo, da franqueza com que se discutiram as coisas e guardo, para mim, um momento que me pareceu significativo do que este encontro pode gerar de positivo em futuras realizações conjuntas - a constatação, por parte do Fernando Zamith, de que ninguém se lembrou de criar uma comissão, para elaborar um relatório preliminar sobre a eventual constituição de uma associação de bloguers.
Gostei, ainda, que o Carlos Baquero e alguns dos seus camaradas do Departamento de Informática da UM tenham mostrado interesse em partilhar com esta comunidade (que lhes é estranha) parte da já vasta experiência adquirida na sua outra comunidade (vide GilDot).
Saudações a todos,

luis antónio santos
lsantos@ics.uminho.pt




Crónicas

Del Encontro en Blogzine: El Encontro de Weblogs en Portugal

De Beers & Blogs en eCuaderno: Beers & Blogs en Braga: muito engraçado

por José Luis Orihuela



Uma nota rápida para avisar que publiquei no 35mm algumas fotos e uma curiosa experiência pessoal que aconteceu no Encontro e que podem encontrar grande parte das fotografias no Lomoblog.com

Ricardo Lamego


D E S E N C A N T O


Desengane-se quem pensar, sugestionado pelo título, que me desiludiu a meritória iniciativa da UM. A verdade é que aplaudo, entusiasticamente, esta primeira e precoce tentativa de racionalização do fenómeno blogáctico. Agradeço aos organizadores a partilha de informações e saber que me proporcionaram, apesar de não ter podido estar presente a todos os painéis e discussões.
O que mais me tocou foi a abordagem do movimento dialéctico que se pressente latente, com efeitos na e-cidadania e que esquematicamente interpreto como se segue:



posted: V., ::TRANSMONTAR::, ::I CONGRESSO DIGITAL DE TRÁS-OS-MONTES::, ::SENADO::


This page is powered by Blogger. Isn't yours?